Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Constipação

Certos acontecimentos da vida dão-me inspiração para escrever coisas assim:


Se os dias pareciam grandes demais, as noites eram intermináveis. O calor invadia todo o meu corpo e o suor saía de cada poro e viajava pela pele, alojando-se na roupa. Dores trespassavam todos os músculos, chegando aos ossos. E aquela névoa que rondava cada célula que povoa a minha cabeça, acompanhando aquela matéria viscosa que saía da cavidade nasal em fios intermináveis.

Sentia-me completamente desprotegido, fora atacado como nunca antes tinha sido. A fraqueza estava instalada em mim, arrastava-me para o mais fundo que alguma vez sentira. O silêncio, só interrompido pelos gemidos que timidamente me saíam das cordas vocais, mantinha-se tão frio como o ar que preenchia cada espaço livre da casa.

Foi então que me pareceu ouvir, lá longe, o rodar da chave na fechadura da porta da rua. Senti uma pequena vibração provocada por cada passo no frio chão de mosaico. Olhei em direcção da porta e imaginei a maçaneta a rodar aos poucos, por causa dos rangidos que dela vinha. Naquela meia penumbra vi uma sombra aproximar-se da cama, um peso extra em cima do colchão e uma mão em minha direcção.

“Pronto, já cá estou…”

Fechei os olhos e saíram duas lágrimas. Um par de lábios tocou os meus, que por puro instinto se entregaram sem sequer se certificarem se se tratavam de objectos estranhos ao corpo. E naquele momento, como pura magia, o calor que me invadia diminuiu, as dores desvaneceram-se e uma sensação de bem-estar invadiu o corpo tão enfraquecido.


Ao fim de três dias aos teus cuidado senti-me completamente renovado. Uma nova primavera caiu sobre mim e em seguida outro verão acabou por se instalar definitivamente no nosso espaço.


12 comentários:

João Roque disse...

O João Máximo tem que começar a olhar para este blog com olhos de editor...

Ribatejano disse...

Shiuuuuu... espero bem que não.

miguel disse...

Até a mim me saíram duas lagrimas... Gostei muito, e há aí um parágrafo poderoso

Ribatejano disse...

Um parágrafo poderoso?! Só se for a parte do peso...

Francisco disse...

As melhoras ;)

Mãos mágicas ;)

Ribatejano disse...

Milagrosas. hehehe

Margarida disse...

tau!
brilhante, absolutamente brilhante.

João Eduardo disse...

##
...por momentos senti-me extasiado, mas quando caí na real, vi que não era comigo...

@@

Ribatejano disse...

Margarida

Tanto brilho deve ser da ranhoca.

Ribatejano disse...

João

Para ti o meu famoso "pois".

Pois...

Margarida disse...

sabes muito bem que é. não te faças de desentendido :)
e o verão, está a ser bom? :D

Ribatejano disse...

Ainda nem a primavera me chegou. Grrr