Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Coisas da vida

Odeio dias como o de hoje. Se na rua não se pode estar devido ao vento cortante e frio que me enregela até os ossos, dentro do escritório quase parece verão. Ando com roupa para me manter quente e depois fico com o corpo suado, sinto-me desconfortável.

Cada vez mais gosto de trabalhar só com homens. Não que não goste da companhia delas, simplesmente são mais picuinhas. Gosto de simplicidade, de poder falar à vontade e não ter receio de ferir susceptibilidades, ainda mais quando as colegas são loiras (nada contra normalmente) que quase de tudo fazem para dar razão a todas as anedotas que conheço sobre o assunto. Só me apetece deixar cascas de banana pelo chão.

O meu cão fica louco quando o tiro de dentro do quintal. Corre e salta como um louquinho, havendo alturas em que parece mais um canguru que um canino. É engraçado como marca todo o território; há sempre mais uma pinguinha para deixar vestígios da sua presença. Está frio mas o gajo adora passar pelas poças de água, em especial se tiver lama. Depois atira-se a mim... raios.

Migas para o jantar, de pão (ou broa, conforme o regionalismo) de milho. Não faltou a couve, o feijão encarnado e para ser diferente, umas rodelas de chouriço e duas postas de bacalhau cozidas e desfiadas. Acompanhou um bom tinto e uma boa conversa comigo mesmo.

Ligo o computador e depois o velho rádio, toca "Wake me up" do Avicii. Danço como um louco (felizmente ninguém assiste) com o som no máximo (para quem passa na rua perceber que tenho bom gosto). Vejo o facebook, o mail, leio os blogues do "grupo" (como um dos membros do grupo diz) e escrevo no blogue.

Falta a chamada telefónica para a mulher que eu mais amo. Depois a cama. É no leito que crio as melhores histórias: olhos fechados, música e sonhos. Não me lembrarei de nada amanhã, talvez seja essa a minha sorte.

12 comentários:

miguel disse...

Tão bonito do principio ao fim. É fantástico o poder das palavras, e admirável quem as sabe usar.

E adorava ver-te dançar sem ninguém ver. Acho que dificilmente somos mais espontâneos do que quando estamos a dançar sem ninguém ver.

Horatius disse...

Dizes que as mulheres são picuinhas, porque nunca trabalhas-te comigo... lolol

Ribatejano disse...

miguel

Sou um horror a dançar, até meto medo a mim próprio.

Ribatejano disse...

Horatius

És assim tão feminino?

Horatius disse...

Não sou feminino. Pelo menos, quando as vezes digo ser gay, as pessoas dizem "ah, disfarças bem".. lol

Mas sou picuinhas. Por exemplo, para mim, temos de ter os nossos pontos ordenados pela nossa letra da escala de serviço. E os meus colegas baralham aquilo tudo. E eu refilo. Tás a ver o filme? lol

Francisco disse...

Estás a melhor a olhos vistos ;)

João Roque disse...

Continuas a surpreender-me pela positiva, e muito, muito.
Mas por onde raio, andavas tu?
É que a tua escrita como diz o Miguel é espontânea, sai com uma facilidade extrema do quotidiano, não inventas nem rebuscas nada. É notável, sim senhor...

Margarida disse...

picuinhas, quem, quem?
:D
açorda, hum, adoro :)

Ribatejano disse...

Horatius

Picuinhas e organizado não é a mesma coisa.

Ribatejano disse...

Francisco

Estou a "melhorar"? É apenas dos teus olhos.

Ribatejano disse...

João

Vou começar a repetir. hehehe

Ribatejano disse...

Margarida

Não és loira pois não? Estás safa.

:)