Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

ausência 

s. f.


Os meus lençóis têm saudades de ti. O teu cheiro, antes tão bem entranhado entre os fios do tecido, já quase não se sente, resultados das lavagens constantes.
A almofada, aquela onde pousavas a cabeça, já não apresenta o feitio da tua cara nela impressa.
A tua metade do colchão está vazia.Sinto falta de encontrar os teus lábios quando me virava na cama. Também os meus lábios sentem saudade dos teus. Daqueles maravilhosos momentos, húmidos, carnudos, sensuais.
Os meus cabelos já não sentem os teus dedos. Adormecia com eles a dedilharem o meu couro cabeludo. E quando acordava mais cedo, retribuía as carícias, até despertares do teu estado de ilusão.
Minhas pernas já não se entrelaçam nas tuas. Agora só encontro espaço vazio. Meus braços já não te prendem e já não te acariciam minhas mãos.
Tudo está diferente, só eu permaneço o mesmo. Aqui, só, sonhando com uma volta que não acontecerá.
Os meus lençóis têm saudades de ti... e eu aqui.

01-07-2012

4 comentários:

João Roque disse...

Tu estás a precisar de "qualquer coisa"...e urgentemente.

Ribatejano disse...

Sim, estou mesmo. De preferência com muitos zeros à direita. hehehe

Daniela* disse...

Gosto bastante :)

Ribatejano disse...

Obrigado Daniela.