Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

As palavras que estavam guardadas

Quase chorei depois de ler o que escreveste. A minha alegria não se compara com a tua mas amolece-me o coração. Quase invejei esses momentos. Fiquei até tentado a trocar a tua personagem por mim próprio. Fico feliz por ti.

E como sempre digo, a minha felicidade é directamente proporcional às felicidades dos meus amigos. És tu o "culpado" por hoje me sentir mais feliz.

Amigo... simplesmente e maravilhosamente amigo.


4 comentários:

Francisco disse...

;)

Sentado com as maiores expectativas :) do que vai surgir a seguir :)

Ribatejano disse...

O futuro a Deus pertence. Enquanto isso vou publicar a segunda parte do conto que escrevi.

hehehe

Margarida disse...

publica com calma, de repente estava a ler deus e os pasteis de nata e puf! desapareceu a história, mas estava muito gira. tens imenso jeito. podemos formar um clube de escritores :)

Ribatejano disse...

Margarida

Ups... em vez de guardar publiquei. Coisas do entusiasmo. hehehe