Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Espera - parte 3

S. Pedro parecia visivelmente cansado quando me apresentei. Nem consegui dizer o meu nome pois interrompeu-me na hora. «Sei bem quem és! Está tudo escrito aqui no livro da vida e da morte.» Fitou-me. «Ora vamos a ver... filho de fulano e beltroa... católico... menos mau... solteiro... meia dúzia de pecados menores... umas multas de trânsito que já não serão pagas... parece que o banco perdeu um cliente... ficaste a dever no restaurante no Manuel?!» Corei. «Logo do Manuel? Um dos nossos bons fornecedores... que o meu patrão o perdoe.»

A sala estava bem decorada. S. Pedro mantinha-se junto a um velho computador resmugando. O software estava um pouco desactualizado e a velocidade da máquina deixava muito a desejar. Os dados pareciam estar correctos mas o cálculo não estava correcto. Constantemente aparecia uma mensagem, dando conta de um erro. «Raios para esta tecnologia. Onde é que eu guardei o manual de instruções?! Ah, está aqui junto à Biblia.» S. Pedro abriu um pequeno volume de papel já amarelecido e procurou no índice a página dos erros. Ajeitou os óculos e olhou para mim por cima das lentes. Pegou noutro volume, desta vez de capa lilás, folheou-o, leu o que estava escrito e disse «Oh meu Deus... mais um?!»

O corredor parecia não ter fim. Quadros decoravam as paredes. Paredes?! Na realidade pareciam pairar no ar. Molduras de vários estilos envolviam pinturas antigas. De quando em vez apareciam uns esgatafunhos. Aproximei-me de um quadro e por baixo estrava escrito “Picasso – 2013”. Parámos. A fila era grande, quase não se via o início. O anjo mandou-me esperar.

Mais uma sala, mas desta vez a decoração era deplorável. Bancos corridos dispunham-se ao longo do espaço. Centenas de almas estavam sentadas à espera. Sentei-me junto a um velho de cabelos brancos, que me tirou todas as medidas num ápice. «Acabaste de chegar né?» perguntou-me. Respondi afirmativamente. «Não te preocupes, daqui a uma eternidade vais ser atendido.»

(vai continuar... oh se vai)

4 comentários:

Margarida disse...

capa lilás e mais um... oh, my, my... :P

João Roque disse...

Pronto...chegaste às "urgências"....

Francisco disse...

À espera estou eu no sofá, a ver o que aí vem :P

Logo vi que gostavas muito de Lilás/roxo ahahahahahahahahaha :P

Ribatejano disse...

Que têm vocês contra o lilás?

Oh my...