Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Projectos inacabados: Escritos

Felicidade saíra daquele lar à bastante tempo. Lar... chamar de lar àquela edificação seria possivelmente errado. Nunca se pôde considerar um verdadeiro lar. O calor não morava naquele espaço fechado. Nem sequer o sol jamais conseguiu aquecer o ar que era respirado. Tristeza instalara-se em definitivo. Tudo parecia ter perdido a razão de existir. As flores não emanavam qualquer odor. Os móveis perdiam a cor, o brilho.  As portas emperravam e as janelas custavam a abrir.

Teria que ser feito alguma coisa o mais rápido possível. Havia necessidade de salvar o pouco que existia ou cairia em total esquecimento. Não bastava uma limpeza, uma nova pintura. Era preciso ar fresco, ar novo e quem lá ainda morava, perdia as forças a cada dia que passava.

Cada passo dado pela rua só faziam o tempo passar. O dia a dia era apenas ocupado com as presas da vida moderna. Já nem o emprego era suficientemente satisfatório. Era apenas mais uma rotina, com problemas resolvidos quantas vezes sem conta, sempre da mesma maneira. os colegas eram sombra. Simples "bom dia" e "até amanhã" eram balbuciados. Todos desconhecidos. Todas vidas modernas.

Ao fim de cada dia, o mesmo percurso de volta. Os mesmos lugares estáticos, com vidas próprias, só aproveitadas por alguns. No rádio do carro, as músicas usuais, os cantores usuais, as notícias curriqueiras. E a entrada da casa, sempre igual... seca.

(um dia acabo)
----------------------------------------------------------------
São 6:45H. Estou a ouvir:


6 comentários:

Cesinha disse...

E espero que acabe mesmo! Você tem uma escrita muito boa de se ler. Caminhamos juntos, conseguindo sentir a sua narrativa como se estivessemos vivendo tudo aquilo. Só não vale deixar o gostinho de quero mais e esse não vem, heim!

Abração.

Ribatejano disse...

Infelizmente já iniciei demasiados projectos, mesmo literários... um dia acabá-los-ei.

Obrigado Cesinha.

um coelho disse...

Uma coisa de cada vez, Ribatejano. É bom iniciar projetos, mas não os deixes todos por concluir. :)

Ribatejano disse...

Caro coelho, no meu caso falar é fácil. Infelizmente preciso de manter a minha cabeça ocupada, para não enlouquecer. hehehe

pinguim disse...

Quando acabares, diz...

Ribatejano disse...

Sim... vou tentar... um dia.

:P