Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

domingo, 16 de novembro de 2014

Vida

Saber que fiz o melhor que podia a um animal de estimação enquanto viveu já me deixa algum conforto.

Foram quase cinco anos de alegria. Terminaram quando acordei pela manhã e o pobre do animal já não respirava. No meu carro o fui buscar ao canil e no mesmo o levei para a morada final. Cumpri o meu dever.

Agora é seguir em frente e substituir aquela vida por outra. E que a sorte nos dê muitos anos de alegria.

7 comentários:

Francisco disse...

Dizem que faz bem, substituir um animal por outro :)

Comigo resultou há uns bons anos atrás

abraço amigo

Mark disse...

O teu cãozinho morreu?

Lamento muito, Ribatejano.

João Roque disse...

É sempre uma tristeza, mas a vinda de um novo, conforta-nos um pouco.

Margarida disse...

com o risco de parecer seca, mas pela experiência de ter passado pelo mesmo: rei morto, rei posto. não esqueço os meus anteriores bichanos, mas arranjo outros quase de imediato.
claro que me lembro muito dos meus gatos antes destes e muitas vezes engano-me nos nomes e aos novos chamo os nomes dos velhotes...
arranjaste um canito novo?

Ribatejano disse...

Felizmente não foi o meu canito, mas sim o de um familiar próximo. Já lá está um substituto.

N a m o r a d o disse...

Mas custa sempre.

Ribatejano disse...

Namorado

Custa e nunca os melhores momentos passados serão esquecidos.