Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Caldeirada rápida de bacalhau

Cobre-se o fundo de um tacho com cebola à rodelas e picam-se três dentes de alho. Rega-se com azeite e coloca-se polpa de tomate. Cortam-se batatas às rodelas (poucas que fazem mal) e dispõem-se sobre a cebola. Tempera-se de sal e coloca-se uma nova camada de rodelas de cebola. dispõe-se o bacalhau cortado em postas pequenas, que se regam com mais azeite e um pouco de vinho branco. Adiciona-se um pouco de água e por cima de tudo completa-se com couve coração cortada fina (mais grossa que Juliana). Depois de cozida a caldeirada, deixa-se repousar por uns minutos. Acompanha com pão de trigo e para quem não gostar de vinho branco (que se deve beber sempre bem fresco), pode beber "café da avó".

E pronto, este vai ser o meu jantar hoje e certamente farei um bom proveito.

PS: Realmente chamar a esta receita de caldeirada não está completamente correcto, mas é a minha simples definição.

5 comentários:

pinguim disse...

Compartilhar essas iguarias é bem melhor que as usufruir sozinho...

Ribatejano disse...

... mas enquanto não acontece, delicio-me sozinho.

Luís V disse...

Experimenta numa próxima vez colocar as batatas no fim. Evita que cozinhem em demasia.
Adorei a ideia da Couve Coração na caldeirada.
Nunca te esqueças: tudo é possível num cozinhado, basta seguir o instinto.

Ribatejano disse...

Obrigado pela sugestão Luis, mas a verdade é que prefiro as batatas quase a desfazerem-se. Além disso já uso batata branca com esse propósito.

Já agora, bem vindo a este espaço.

Luís V disse...

Obrigado pela hospitalidade ribatejana.

Eu gosto de desfazer as batatas no prato... eheheh!