Este blogue tem conteúdo adulto. Quem quiser continuar é risco próprio; quem não quiser ler as parvoíces que aqui estão patentes, só tem uma solução.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Dar

Já admiti diversas vezes que sou forreta. Não gasto para amealhar mas sim porque gosto de cometer os meus "pecaditos" consumistas e pagar de uma só vez. Graças a Deus que tenho uma forma de sustento sem precisar de recorrer a terceiros.

Muitos neste momento não compartilham da mesma sorte. São tantos aqueles que ao fim de tantos anos de trabalho, árduos até, que se encontram em dificuldades financeiras. As reformas que não chegam. Os ordenados que não são embolsados devido ao desemprego. os subsídios que vão decrescendo.

Felizmente ainda existem neste país associações de ajuda. São essas instituições que fornecem o que falta em muitos lares do nosso pequeno rectângulo luso. Instituições que contam com quem é generoso e que estão dispostos a ajudar os outros.

O Banco Alimentar é possivelmente uma das mais importantes associações de solidariedade social do nosso país. As dávidas dos portugueses, nas campanhas de recolha de alimentos, são distribuídas por todo o país.

Aconteceu nos passados dias 1 e 2 deste mês mais uma recolha. Este ano, talvez por ver que o futuro é cada vez menos brilhante, decidi ser generoso. Melhor ainda, veio-me à alma que o azar pode bater à porta de qualquer um... até a mim... nunca se sabe.

Acedi ao sítio do Banco Alimentar e fiz uma doação. Através daquele espaço há a oportunidade de doar cabazes alimentares (penso que acabou hoje), compostos por diversos bens de primeira necessidade, ao preço de €10,65 cada (não vou dizer quantos doei).

Senti-me um pouco melhor após efectuar o pagamento pelo multibanco. Foi só um acto simbólico da minha parte mas pelo menos haverá quem beneficie.

Sim, sou forreta. Mas pelo menos este ano, a forretice levou-me a contribuir com algo de bom para o próximo.




6 comentários:

João Roque disse...

Estás de parabéns.

Francisco disse...

Lindo menino

Alma de bom cristão :)

Speedy the Turtle disse...

Por acaso também sou um bocadito forreta mas também costumo contribuir para este género de causas. Mas opto sempre por aquelas que decorrem junto aos hipermercados. comodidade, talvez.

Ribatejano disse...

Obrigado João.

Ribatejano disse...

Não é uma questão de ser ou não bom cristão, caro Francisco. É uma obrigação de todos os que pensam no futuro e no quão incerto ele é.

Ribatejano disse...

Speedy

Por acaso não gosto se ser muito incomodado à porta do supermercado. Optei por esta forma porque acabei por ser talvez um pouco mais generoso.